Revista Brasileira de Psicoteratia

Submissão Online Revisar Artigo

Vol 15 N° 2  2013

 

2 -  Apresentação da nova equipe editorial da Revista Brasileira de Psicoterapia
Marina Bento Gastaud; Claudio Laks Eizirik; Paulo Fernando Bittencourt Soares
Páginas: 3 - 3

Descritores:

Artigos Originais
3 -  Efeito de um modelo de intervenção psicodinâmica ultrabreve para mulheres com transtorno de estresse agudo e transtorno de estresse pós-traumático: estudo naturalístico
Letícia Rosito Pinto Kruel; Simone Hauck; Erico Moura Silveira Júnior; Lúcia Helena Freitas Ceitlin
Páginas: 4 - 13

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de um modelo de psicoterapia psicodinâmica ultra-breve em mulheres com transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e transtorno de estresse agudo (TEA).
MÉTODO: 27 mulheres que completaram 4-6 sessões de tratamento foram avaliadas antes e após a intervenção por meio de um protocolo padrão: Davidson Trauma Scale (DTS), Inventário Beck de Depressão (Beck), Defesa Style Questionnaire (DSQ-40), Clinical Global Impression (CGI) e Avaliação Global do Funcionamento (GAF).
RESULTADOS: Após o tratamento, verificou-se redução dos sintomas de acordo com o DTS, BECK, CGI e escalas de GAF, mesmo controlando para o uso de psicofármacos, com tamanho de efeito elevado n: CGI d = 1,18, GAF d = 1,03, DTS d = 0,95 e BDI d = 0,9. Houve redução na utilização de projeção e aumento da defesa humor após o tratamento. A redução dos sintomas do TEPT foi correlacionada com a diminuição do escore do fator imaturo.
CONCLUSÕES: Embora estudos controlados sejam necessários para confirmar esses resultados, este estudo sugere que uma intervenção psicodinâmica ultra-breve pode ser uma alternativa interessante no tratamento para TEPT e TEA, principalmente no âmbito da saúde pública.

Descritores: Psicoterapia; Resultado de Tratamento; Transtornos de Estresse Pós-Traumático.

4 -  A hipermodernidade e a clínica psicanalítica
Pricilla Braga Laskoski; Marina Bento Gastaud; Julia Domingues Goi; Ana Margareth Siqueira Bassols; Diogo Machado; Camila Piva da Costa; Mariana Torres; Felipe Bauer Pinto da Costa; Cláudio Laks Eizirik
Páginas: 14 - 24

Resumo

A partir do conceito de hipermodernidade proposto por Lipovetsky, discute-se acerca das possíveis repercussões psíquicas dos movimentos e transformações sociais identificados pelo filósofo, bem como sobre os desafios que essas mudanças propõem à psicanálise nos dias atuais. Compreender as vicissitudes da cultura em que o sujeito está inserido instrumentaliza o terapeuta para analisar, com seu paciente, a forma como ele integra as demandas coletivas e próprias do seu tempo com suas necessidades individuais. O paciente hipermoderno nos interroga acerca das condições de intervenção psicanalítica possíveis nos dias de hoje. Suas queixas são diferentes daquelas direcionadas a Freud. É, portanto, fundamental que psicoterapeutas estejam em contato com essas novas construções sociais e mantenham uma postura continente e não apocalíptica.

Descritores: Psicoterapia; Psicanálise; Filosofia.

5 -  O funcionamento masoquista na relação terapêutica
Stefania Pigatto Teche; Paulo Fernando Bittencourt Soares; Cláudio Laks Eizirik
Páginas: 25 - 38

Resumo

Pacientes com funcionamento masoquista representam um dos desafios terapêuticos mais difíceis durante a psicoterapia psicodinâmica. O comportamento masoquista pode dominar o campo analítico e causar forte resistência ao progresso do tratamento. Essa resistência pode aparecer tanto nas reações transferenciais do paciente quanto nas reações contratransferenciais e nos enactments do terapeuta. Este trabalho detalha as principais dificuldades na relação terapêutica com pacientes de funcionamento masoquista, ilustradas com material clínico, e revisa os principais cuidados que se devem ter na técnica da psicoterapia de orientação analítica durante o tratamento desses pacientes.

Descritores: Masoquismo; Psicoterapia; Transferência (Psicologia); Contratransferência (Psicologia).

6 -  Vivências psíquicas da infância no filme "Onde Vivem os Monstros"
Fernanda Lucia Capitanio Baeza; Paulo Fernando Bittencourt Soares
Páginas: 39 - 51

Resumo

INTRODUÇÃO: "Onde vivem os monstros" é um conto infantil adaptado para o cinema que aborda diversos aspectos das vivências psíquicas da infância. Os contos infantis têm importante papel na compreensão e elaboração dos conflitos psíquicos. Sendo assim, podem ser utilizados como ponto de partida para explorar diversos temas relacionados ao desenvolvimento psíquico infantil.
OBJETIVOS: Este trabalho tem por objetivo partir da estória do filme "Onde vivem os monstros" e abordar alguns aspectos do desenvolvimento psíquico infantil.
MÉTODOS: Foram revisados textos de Freud, Klein e outros autores que abordaram temas específicos da infância. Fragmentos do filme foram divididos em primeira, segunda e terceira partes, e, em cada uma dessas partes, foram abordados alguns tópicos, como: complexo de Édipo; agressividade; defesas maníacas; narcisismo infantil; posição esquizoparanoide versus depressiva; princípio do prazer versus princípio de realidade.
CONSIDERAÇÕES FINAIS: A estória narrada no filme pode ser compreendida como uma alegoria do processo de elaboração dos conflitos psíquicos infantis. O contato atento com manifestações artísticas de todas as naturezas enriquece o trabalho de psiquiatras e psicoterapeutas, sendo uma infinita fonte de material a ser explorado sob a perspectiva psicanalítica.

Descritores: Psicanálise; Cinema; Criança.

7 -  Fixação e regressão: uma revisão dos conceitos aplicada à prática da psicoterapia de orientação analítica
Charlie Trelles Severo; Rudyard Emerson Sordi
Páginas: 52 - 63

Resumo

Os diversos fenômenos psicológicos presentes no desenvolvimento humano determinam as características da personalidade. Desses fenômenos, a fixação e a regressão, por exemplo, podem revelar que o modo de satisfazer ou reprimir o impulso durante o desenvolvimento da libido não ocorreu satisfatoriamente, evidenciando um "prender-se" ao que se acredita ser um modelo de resolução. A relação entre esses dois fenômenos está na origem da criação de sintomas comprometedores de uma vida psíquica satisfatória. Identificá-los, assim como elaborá-los, torna-se alvo da psicoterapêutica com orientação analítica.

Descritores: Regressão; Fixação; Impulso; Mecanismos de Defesa; Terapia Psicanalítica.

Artigo de Revisão
8 -  Psicoterapia interpessoal no manejo da depressão
Livia Hartmann de Souza; Marcelo Pio de Almeida Fleck
Páginas: 64 - 74

Resumo

Este artigo é uma revisão sobre a psicoterapia interpessoal (TIP) no manejo da depressão. Os fundamentos teóricos, bem como os aspectos técnicos, são revisados. Em seguida, é apresentada uma breve revisão das evidências científicas recentes que fundamentam a TIP como opção para o manejo do transtorno depressivo.

Descritores: Psicoterapia; Depressão; Psicoterapia breve.

9 -  Considerações sobre alta de crianças após triagem e a definição de alta em psicoterapia psicanalítica de crianças
Izabel Cristina Paez; Maria Lucia Tiellet Nunes
Páginas: 75 - 96

Resumo

O objetivo desta revisão sistemática de literatura foi analisar estudos sobre alta em psicoterapia psicanalítica de crianças. O método utilizado foi a consulta às bases de dados eletrônicas INDEXPSI, LILACS, MEDLINE (PubMed), PEPSIC, PsycINFO e SciELO, a partir de palavras-chave, descritores ou termos que pudessem identificar artigos indexados sobre essa temática. Os 54 abstracts/resumos de artigos identificados foram analisados de acordo com os critérios de inclusão, determinados com base no objetivo desta revisão. Como resultado, foram excluídos 53 artigos e incluído somente um artigo indexado pela base de dados eletrônica PEPSIC, cuja análise demonstrou que se tratava de um estudo sobre alta após triagem para psicoterapia e que resultou bastante revelador, visto que permitiu uma reflexão sobre o momento da alta e sobre a definição de alta em psicoterapia psicanalítica de crianças. Os artigos excluídos abordavam alta em terapias de forma geral e o abandono de tratamento em psicoterapia de crianças. Nesta pesquisa, foi constatada importante lacuna na literatura sobre alta em psicoterapia psicanalítica de crianças.

Descritores: Alta do Paciente; Psicoterapia; Criança; Psicologia Clínica.

Resenha
10 -  Psicoterapias breves nos diferentes estágios evolutivos
Márcia Calixto dos Santos
Páginas: 97 - 101

Resumo

O livro apresenta as perspectivas teóricas e práticas das psicoterapias breves psicodinâmica e cognitivo-comportamental, abordagens de psicoterapia de grande destaque no contexto atual. É uma obra voltada para psicoterapeutas e pesquisadores interessados em aprimorar os conhecimentos sobre as pesquisas atuais e principais técnicas das referidas abordagens de psicoterapia.

Descritores: Psicoterapia; Psicoterapias Breves; Processos Psicoterápicos.

Comunicação breve
11 -  Treinamento via internet em pesquisa clínica: uma experiência com o psychotherapy process Q-Set (PQS)
Fernanda Barcellos Serralta; Silvia Pereira da Cruz Benetti; Carolina Seybert
Páginas: 102 - 110

Resumo

INTRODUÇÃO: Nas últimas décadas, os estudos dos processos das psicoterapias aumentaram significativamente nosso conhecimento sobre os mecanismos de ação subjacentes ao encontro terapêutico. Entre os vários instrumentos e métodos para avaliar o processo terapêutico, destacamos o Psychotherapy Process Q-Set1. O PQS compreende 100 itens que descrevem as características do paciente, do terapeuta e da sua interação, podendo ser aplicado para descrever o processo de uma única terapia ou de um grupo de terapias. O uso de PQS requer treinamento intensivo. Idealmente, o aluno deve discutir as dificuldades e dúvidas com outros avaliadores experientes, a fim de esclarecer o seu uso e clarificar os significados sutis. Esta breve comunicação descreve um treinamento baseado na internet e o processo de aprendizagem de duas pesquisadoras com diferentes níveis de experiência com o PQS.
RESULTADOS e DISCUSSÃO: O progresso do treinamento, baseado em valores de confiabilidade (correlação de Pearson) entre o avaliador sênior e as pesquisadoras demonstra que o treinamento via internet pode ser uma alternativa para pesquisadores localizados longe dos grandes centros de pesquisa em psicoterapia. Esse tipo de treinamento em investigação é suscetível de ser replicado com sucesso em outros grupos e, possivelmente, com outros métodos de pesquisa em psicoterapia.

Descritores: Psicoterapia; Processos Psicoterapêuticos; Internet.