Revista Brasileira de Psicoteratia

Submissão Online Revisar Artigo

Vol 17 N° 3  2015

 

Editorial
1 -  A importância do investimento em pesquisa em psicoterapia e dos estudos originais de revisão
Neusa Sica da Rocha; Pricilla Braga Laskoski; Alcina Barros; Carolina Padoan; Rafael Wellausen
Páginas: 1 - 2

Descritores:

Artigos Originais
2 -  Compras compulsivas: uma revisão sistemática das opções psicoterapêuticas
Maríndia Brandtner; Gibson Juliano Weydmann; Fernanda Barcellos Serralta
Páginas: 3 - 16

Resumo

Foi realizada uma revisão sistemática da literatura dos últimos 12 anos sobre o comprar compulsivo e as suas opções psicoterapêuticas. A busca foi realizada nas bases de dados MEDLINE, Web of Science e American PsychologicalAssociation (APA) com as palavras-chave psychotherapy (psicoterapia) and (e) compulsivebuying (compras compulsivas). Foram encontrados 86 artigos. Após leitura dos resumos, foram excluídos os artigos escritos em outra língua que não português ou inglês, artigos teóricos ou de revisão, e artigos que não tinham foco na psicoterapia. Apenas sete estudos preencheram esses critérios e foram analisados. Cinco estudos focavam modalidades grupais de terapia, sendo quatro de abordagem cognitivo-comportamental. Com base nesta revisão,pode-se considerar que a TCC em grupo é uma abordagem indicada para o tratamento do comprar compulsivo. Entretanto, há que se ressaltar que ausência de evidência não significa evidência de ausência. Mais estudos são necessários, especialmente comparando dois tratamentos ativos ou as modalidades individual e grupal.

Descritores: Comportamento compulsivo; Psicoterapia; Psicopatologia.

3 -  A dimensão da parentalidade no tratamento do paciente adulto
Catia Olivier Mello; Miriam Fontoura Barros de Santis
Páginas: 17 - 28

Resumo

A análise de pacientes adultos por analistas com formação em análise de crianças e adolescentes oferece uma oportunidade de reflexão para uma situação que se apresenta também a qualquer analista: as identificações do paciente com seu filho e seus desdobramentos na sua análise. Os filhos evocam nos pais esperanças e aspirações profundas, sonhos narcisistas, mas também hostilidade destrutiva. Uma das fontes dessa destrutividade, além do passado dos pais, é o status atual dos pais como adultos, com poderes físicos e mentais adultos e a atemorizadora consciência dos limites finitos desses poderes a serem apontados em análise pelo campo analítico na relação com o analista. Ademais da análise da transferência, as projeções dos conflitos e dificuldades dos pais nos seus filhos podem ser identificadas em análise e serem abordadas desde o vértice do exercício e construção da parentalidade a partir do contato com o filho como alguém diferente de seu genitor. Este trabalho procura discutir esse ponto desde o vértice teórico e ilustrando-o com dois exemplos de pacientes adultos (com filhos) em análise.

Descritores: Transferência (Psicologia); Psicoterapia; Pais.

4 -  Pesquisa em psicoterapia psicanalítica de adultos: uma revisão sistemática de ensaios clínicos
Pricilla Braga Laskoski; Charlie Trelles Severo; Carolina Stopinsk iPadoan; Diogo Machado; Neusa Sica da Rocha; Keila Maria Mendes Ceresér; Fernanda Barcellos Serralta; Cláudio Laks Eizirik
Páginas: 29 - 46

Resumo

O objetivo deste estudo é reunir os ensaios clínicos que envolveram alguma modalidade de Psicoterapia Psicanalítica publicados no período compreendido entre julho de 2008 e julho de 2013. Pretendemos identificar quais as modalidades contempladas, qual a população mais estudada, quais os fatores de interesse mais estudados, que localidades apresentam maior produção e quais os principais resultados encontrados. A revisão foi realizada em julho de 2013, através das bases de dados PsycINFO, Embase e Pubmed. Foram selecionados 27 estudos. O número de ECRs em PP encontrado nesta revisão pode ser considerado pequeno, o que possivelmente reflete uma preferência por outros delineamentos de pesquisa na avaliação dos resultados das técnicas psicanalíticas. A pesquisa em PP parece ser veiculada predominantemente através de periódicos acessados muitas vezes apenas por outros pesquisadores. Porém, o difícil acesso pode não ser a única razão por trás da reconhecida dissociação entre academia e prática clínica: a linguagem utilizada nos artigos encontrados nesta revisão pressupõe amplo conhecimento de termos de uso restrito de pesquisadores. Acreditamos que esta revisão pode ser útil para uma geração de terapeutas e pesquisadores que desejam trabalhar em sincronia com o avanço do conhecimento científico.

Descritores: Terapia psicanalítica; Ensaio clínico; Adulto; Psicoterapia.

5 -  O desenvolvimento da regra fundamental na obra de Freud: da hipnose à associação livre
Luciano Isolan
Páginas: 47 - 62

Resumo

Uma das principais ferramentas da técnica psicanalítica é a associação livre, intitulada pelo próprio Freud como a regra fundamental da psicanálise. Essa regra pode ser conceituada como o compromisso assumido pelo paciente de comunicar ao analista tudo o que lhe vier à mente, independentemente de suas inibições ou do fato de achá-las insignificantes ou não. Freud desenvolveu a técnica da associação livre gradualmente a partir da hipnose e do método catártico. O conhecimento desses métodos anteriores à associação livre torna possível uma maior compreensão a respeito do desenvolvimento da regra fundamental. Esse aprimoramento na técnica psicanalítica possibilitou o acesso do material recalcado para a consciência e revelou ao paciente a natureza de seu inconsciente. O presente trabalho se propõe a realizar um estudo da evolução da regra fundamental na obra de Freud através de seus sucessivos períodos, passando da hipnose à associação livre.

Descritores: Associação livre; Psicanálise; Psicoterapia.

Artigo de Revisão
6 -  A dependência química na Psicoterapia Analítica Funcional: um diálogo contingente
Marcelo Morandi
Páginas: 63 - 79

Resumo

A dependência química representa hoje um dos maiores desafios enfrentados por profissionais de saúde de todo o mundo. A busca por dados e evidências científicas que garantam respostas cada vez mais eficazes ao tratamento continua em constante processo de construção. O presente trabalho, através de uma revisão da literatura, tem por objetivo apresentar o ponto de encontro entre as teorias comportamentais e o fenômeno da dependência química, postulando a interação lógica da Psicoterapia Analítica Funcional (FAP) como possibilidade de ajuda a usuários de álcool e outras drogas. Os Comportamentos Clinicamente Relevantes (CRB) e a relação terapêutica são colocados enquanto alternativas de operacionalização do responder contingente do terapeuta aos comportamentos aditivos. Apesar dos avanços no refinamento da descrição da FAP e da validação empírica de seu mecanismo de mudança clínica, a tarefa de especificar o responder contingente do terapeuta ao comportamento aditivo ainda não foi amplamente estudada, porém sua influência na clínica da dependência química merece atenção.

Descritores: Terapia comportamental; Comportamento aditivo; Transtornos relacionados ao uso de substâncias.