ISSN 1516-8530 Versão Impressa
ISSN 2318-0404 Versão Online

Revista Brasileira de Psicoteratia

Submissão Online Revisar Artigo

Rev. bras. psicoter. 2018; 20(2):1-8



Artigo Original

O papel dos objetos socias na constituição da mente

The role of social objects in the constitution of the mind

Simone Haucka,b,c; Lúcia Helena Freitasa,b,c

Resumo

A teoria das relações objetais é fundamental para a compreensão psicanalítica do desenvolvimento da mente. As relações iniciais com os cuidadores são introjetadas como padrões de relações contendo o self, o objeto (o outro) e os afetos relacionados, sendo repetidas ao longo da vida. O modo de lidar com as relações (mecanismos de defesa), a capacidade de aceitar os aspectos bons e ruins do self e do outro e o nível de independência também são desenvolvidos, a partir das experiências iniciais. Neste artigo, propomos uma outra ordem de objetos que é internalizada durante o desenvolvimento, seguindo um padrão que é semelhante ao característico à relação com os cuidadores. O indivíduo também introjeta a "sociedade" como um objeto: self + objeto social + afetos e defesas relacionadas ao padrão do relacionamento. A relação com esse objeto que representa a sociedade é vivida no mundo interno como se fosse um objeto humano, fazendo parte de toda dinâmica peculiar a essa realidade. As definições e especificações do conceito são apresentadas, juntamente com sua relevância clínica e possíveis aplicações.

Descritores: Psicanálise; Psicoterapia psicodinâmica; Relações objetais; Sociedade; Desenvolvimento; Objeto social.

Abstract

The theory of object relations is fundamental to the psychoanalytic understanding of the development of the mind. The initial relations with caregivers are introjected as patterns of relations containing the self, the object (the other) and the related affects, and are repeated throughout life. The way of dealing with relations (defense mechanisms), the ability to accept the good and bad aspects of the self and the other, and the level of independence are also entailed in the initial experiences. In this article, we propose there is another order of objects that is internalized during development, following a pattern that is similar to that characteristic of the relation with the caregivers. The individual also introjects "society" as an object: self + social object + affects and defenses related to the pattern of the relationship. The relation with this object that represents society is experienced as if it was a human object, being part of all sorts of events in the internal world. The definitions and specifics of the concept are presented, along with its clinical relevance and possible applications.

Keywords: Psychoanalysis; Psychodynamic Psychotherapy; Object Relations; Society; Development; Social Object.

 

 

 

artigo anterior voltar ao topo próximo artigo
     
artigo anterior voltar ao topo próximo artigo